21 junho 2011

Noite obscura


Silêncio na noite,
noturna solidão.
Perdida saio nas ruas,
nada faz sentido.
A madrugada não passa,
e isso me irrita...
Alma dilacerada,
será a morte
meu fim?

JOANA D'ARC
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL