22 novembro 2017

Combate ao Diabetes


No mês que é comemorado o Dia Mundial do Combate ao Diabetes, o médico endocrinologista, Doutor Isaac Benchimol, explica melhor sobre a doença, o diagnóstico, causas, sintomas e tratamentos, além de tirar outras dúvidas. Segue entrevista abaixo:

1) O que é pré diabetes? 

É uma pessoa com herança diabética na família e que apresente uma Glicemia de jejum entre 100mg% e 125mg%. Ou uma glicemia ocasional acima de 160mg%

2) Como diagnosticar o Diabetes?

 É muito fácil. É por um exame de glicose no sangue (glicemia). O valor NORMAL é entre 70 a 99mg%. PREDIABETES entre 100 e 125mg%. DIABETES acima de 126mg% -- Devemos repetir o exame.

3) Pacientes com Diabetes têm restrições alimentares?

 SIM. Eles não devem comer açúcar refinado. Nada pode ser comido em excesso. Além disso, precisam se manter dentro de um valor calórico que os mantenha bem fisicamente, de acordo com sua estatura e atividade física diária. Algo em torno de 1800 a 2200 calorias.
Se for obeso – devemos diminuir um pouco o valor calórico da dieta e aumentar um pouco a atividade física.
Se for magro – podemos aumentar o valor calórico da dieta.

4) Diabetes causa cegueira? 

SIM. Esta é a complicação da RETINOPATIA DIABÉTICA.
Ela ocorre principalmente nos pacientes mal controlados e que não usam a medicação ou dieta.

5) Quais são as complicações do Diabetes? Temos três outras complicações.

NEFROPATIA DIABÉTICA – Leva a insuficiência renal e hemodiálise ou transplante renal.
NEUROPATIA DIABETICAS – Leva a alterações de sensibilidade e motora dos nervos.
ARTERIOESCLEROSE – Doença dos vasos. Levando ao Infarto do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral
Os conhecidos IAM e AVC e CARDIOPATIA DIABÉTICA.
Além desses, os microvasos dos diabéticos inflamam e podem ocorrer outras complicações isoladas.



6) Quais são os tipos de diabetes?

Temos o DIABETES TIPO 1 – que ocorre em crianças ou adultos jovens – É uma doença AutoImune. Representam 10% dos diabéticos. O Paciente produz anticorpos contra parte das células pancreáticas que produzem insulina. Esses serão tratados sempre com insulina – porque é o hormônio que está faltando.
Temos o DIABETES TIPO 2 – com ocorre em adultos com herança diabética, obesos, sedentários e também em jovens com obesidade e herança diabética. Representam 85% dos diabéticos.
Esses vão ser tratados com educação alimentar, atividade física e medicação oral.
Começamos com uma medicação e vamos aumentando as doses e os tipos de medicação.
Uma med. --- Duas med. --- Três med. ---- Quatro med. Às vezes é necessário o uso de Insulina em pequenas doses.

DIABETES GENÉTICOS – Raros. Representam menos de 5% dos diabéticos.
São defeitos genéticos ainda difíceis de ser reconhecidos.

7) Quais são os principais sintomas?

POLIÚRIA- urinar muito
POLIDIPSIA – muita sede
PERDA DE PESO
FRAQUEZA E DORES NAS PERNAS
VISTA TURVA OU BORROSA

8) Açúcar causa diabetes? 

NÃO. Mas é importante notar que devemos ingerir com moderação. Seres humanos não podem comer o que querem. Devemos estabelecer limites na vida. “A casa come o que a casa compra” – Não compre os alimentos errados.

9) Quando o paciente tem de fazer a aplicação da insulina?

Os pacientes DIABÉTICOS TIPO 1 – sempre vão necessitar de insulina para o seu bom controle.
Os pacientes DIABÉTICOS TIPO 2 - podem necessitar de insulina na fase tardia da doença.


OBS: É sempre bom lembrar que medicina não é matemática.
Sempre tem algo imponderável – não combinamos com o DNA do paciente ou com o seu meio de vida.
As verdades em medicina são relativas. Devemos pactuar com o paciente que tipo de controle ele deseja.
O tratamento deve ser personalizado e adaptado ao paciente.



JOANA D'ARC
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL