29 março 2017

Você sabe o que é blefaroplastia?

Cirurgia plástica melhora o aspecto das pálpebras

Procedimento elimina excessos de pele, bolsas de gordura, rugas e flacidez


O nome é bem complicado, mas o resultado vale o esforço de aprender o seu significado. A blefaroplastia é a cirurgia plástica que melhora o aspecto das pálpebras superiores, inferiores ou ambas, eliminando excessos de pele, bolsas de gordura, rugas e flacidez na região ao redor dos olhos.
“Esta cirurgia é indicada para quem tem excesso de pele e, consequentemente, flacidez nas pálpebras, prolapso das bolsas de gordura e rugas na pálpebra inferior; também é indicada para quem tem ptose palpebral, que é a queda da pálpebra causada pelo excessivo peso da pele redundante, por uma desinserção ligamentar ou fraqueza muscular”, explica Alexandre Audi, cirurgião plástico do Hospital Sírio-Libanês. Ele acrescenta que a blefaroplastia pode ser feita para remoção de xantelasmas, que são os pequenos acúmulos de colesterol, que causam manchas marrons, principalmente, nas pálpebras.
O cirurgião esclarece que são necessários exames gerais, como para qualquer  procedimento cirúrgico, para então agendar a data. A cirurgia pode ser  realizada com anestesia local pura, sedação, conforme o caso de cada paciente. O procedimento dura por volta de duas horas. “Ressecamos o excesso de pele e de gordura, cauterizamos com bisturi elétrico e fechamos com pontos bem na preguinha palpebral, uma área escondida da pálpebra superior.”
Alexandre Audi afirma que as linhas de incisão da cirurgia de pálpebra inferior são planejadas para deixar as cicatrizes bem escondidas rente à linha subciliar, logo abaixo da linha inferior dos cílios, removendo o excesso de pele do local, reposicionando bolsas de gordura e corrigindo a frouxidão da pálpebra inferior em um procedimento chamado cantopexia. 
 A internação normalmente é de 6 a 8 horas. “Se o paciente passar por mais outros procedimentos cirúrgicos associados à blefaroplastia, o tempo de internação pode se estender em até 24 horas.”
 Durante os primeiros dias, são utilizados colírios lubrificantes para evitar irritação dos olhos e maior sensibilidade à luz e ao vento. Dependendo da evolução pós-operatória, o paciente poderá voltar as suas atividades normais de três a quatro dias após a cirurgia. “Seguindo rigorosamente as orientações médicas, a recuperação será ótima”, adiciona.


 Alexandre Audi ainda faz uma lista do que é preciso para uma recuperação boa e rápida:

- é bom repousar, evitando movimentação excessiva nos dois primeiros dias;

- deitar e dormir com a cabeça mais elevada ou com dois travesseiros. Evitar deitar-se de lado;

- usar óculos escuros para se proteger de uma maior sensibilidade à luz e ao vento;

- evitar exposição direta ao sol, principalmente enquanto os hematomas estiverem ao redor dos seus olhos;

- fazer compressas com soro fisiológico gelado nos olhos para diminuir o tempo de inchaço e proporcionar conforto pós-operatório;

- não coçar os olhos;

- exercitar-se moderadamente  só depois de 15 dias da cirurgia.

Os pontos são retirados cerca de uma semana depois da cirurgia. Hematomas  podem surgir nas pálpebras, mas costumam regredir por volta do sétimo dia. As lentes de contato poderão voltar a ser utilizadas somente na terceira semana.






SOBRE O DR. ALEXANDRE AUDI 

 é cirurgião plástico, formado pela Faculdade de Medicina da USP, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC), especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, cirurgião plástico do Hospital da Aeronáutica de São Paulo e do Núcleo de Feridas Complexas do Hospital Sírio-Libanês.

JOANA D'ARC
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL