.

English German Spain Italian Portuguese Japanese

5 esportes paralímpicos que você pode praticar em uma academia ao ar livre

| |

13 setembro 2016


Olá,tudo bem?
Descubra 5 esportes paralímpicos praticáveis em uma academia ao ar livre.
Quem é portador de alguma deficiência sabe como era difícil se integrar na sociedade há uma ou duas décadas. Essa dificuldade também se estendia às academias e espaços de lazer, sendo extremamente raro encontrar lugares preparados para receber atletas paralímpicos.
Hoje, no entanto, a acessibilidade está mais evidente e esse cenário já começou a mudar. Além dos locais tradicionais, o conceito de academia ao ar livre ganhou espaço. A palavra acessibilidade significa justamente fornecer as condições necessárias de modo que qualquer pessoa que tenha algum tipo de limitação possa levar uma vida dentro da normalidade e com os mesmos direitos e possibilidades.
Através dos esportes paralímpicos, atletas com qualquer limitação – física, mental ou intelectual – têm a chance de explorar esse universo que faz tão bem para corpo e mente. Está em busca de esportes paralímpicos?
Hoje, separamos 5 esportes paralímpicos que, assim como os tradicionais, podem ser praticados em uma academia ao ar livre.

Natação Paralímpica

A natação é um dos esportes que mais nos beneficia e pode ser praticada por todos, trazendo um mar de benefícios para corpo e mente.
A natação é um dos esportes mais famosos do mundo e, no caso da natação paralímpica, ela não fica muito atrás. Além de ser terapêutica e ajudar a aliviar o estresse do dia a dia, a natação paraolímpica foi adaptada e passou por algumas modificações para se tornar acessível aos portadores de deficiências.
Para esses atletas, a natação tem benefício recreativo, competitivo, terapêutico, psicossocial e de coordenação, além de ajudar a levantar a autoestima e melhorar a autoimagem do atleta.

Futebol de 5 paralímpico

Praticado por atletas cegos, o futebol de 5 surgiu na Espanha por volta de 1920. No Brasil, estima-se que o esporte tenha chegado na década de 1950. Trata-se de uma modalidade que tem suas disputas em uma quadra muito semelhante a do futsal, com poucas alterações.
Os atletas utilizam vendas nos olhos para não serem orientados pela percepção luminosa. O goleiro, em geral, consegue enxergar. A partida é dividida em dois tempos de 25 minutos, com um intervalo de 10 minutos. O futebol de 5, além de trabalhar toda a musculatura física dos atletas, diminui o nível de estresse e incentiva a sociabilização.

Remo paralímpico

O remo adaptável ou paraolímpico é a prática do Remo convencional, porém destinado a pessoas com déficit ou limitação de qualquer espécie. Isso inclui quadriplegia, cegueira, esclerose múltipla, paralisia cerebral e Síndrome de Down.
Com instrumentos adaptativos que facilitam a atividade dos esportistas, o remo adaptável obriga o aluno a usar sua musculatura para poder navegar de maneira segura e hábil em ambientes naturais. Quem gosta de estar em contato com a natureza pode se beneficiar com a prática desse esporte. O remo é dividido em modalidades, que podem incluir um, dois ou mais remadores.

Ciclismo paralímpico

 O ciclismo já é um dos esportes tradicionais do Brasil e muita gente já o pratica diariamente. O ciclismo paraolímpico é dividido em duas modalidades: pista e estrada. Se olharmos mais atentamente poderemos notar a diversidade que há nesse esporte. Além das bicicletas tradicionais, existem tandens, triciclos e handbikes.
O ciclismo paraolímpico chega com atletas de elite e com muita garra. Para quem curte o esporte, é fã de bicicleta e tem resistência, o ciclismo é uma ótima escolha de esporte ao ar livre.

Basquete em cadeira de rodas

Tem praticamente as mesmas regras em comparação com o basquete tradicional, tendo apenas algumas modificações para implementar o uso das cadeiras de rodas, bem como favorecer a mecânica da locomoção dos atletas e o fato de se jogar sentado.
No basquete paraolímpico, cada equipe é dividida em cinco jogadores e há dois períodos de 20 minutos, com 30 segundos de posse da bola. Em caso de empate, a prorrogação é de 5 minutos. É importante lembrar que as cadeiras de rodas devem ser devidamente adaptadas para os padrões de segurança e competividade, de modo que o jogador seja capaz de locomover-se sem nenhuma limitação e não acabe tendo prejuízos na pontuação dos jogos.

© JOANA D'ARC - 2017. Todos os direitos reservados. Template criado por Digital Mix Design.Tecnologia do Blogger.