05 agosto 2011

Estrada da vida

  
O tempo não mudou
e o caminho me
guia para o estrangeiro.
Céu vazio e
nuvens cheias de pó,
sobre a estrada vazia.
Lágrimas vermelhas,
eu chorei,
medo e desespero.
Silêncio na estrada
foi só o que restou.


JOANA D'ARC
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL